Quando pensamos no futuro coletivo, considerando as inegáveis mudanças que ocorrem no mundo, entendemos que existem oportunidades-chave em relação à educação e às perspectivas futuras de trabalho.

Jorge Barbosa, coordenador do programa Think Blue, Banco Mundial

Quais serão os objetivos educacionais para o futuro?

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas delineiam uma agenda educacional ambiciosa para o ano 2030, que inclui “aumentar substancialmente o número de jovens e adultos com habilidades relevantes, incluindo habilidades técnicas e vocacionais, para o emprego, o trabalho digno e o empreendedorismo “(Objetivo ODS 4.4).

Quais serão as principais habilidades relevantes para o futuro?

As estimativas da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) sugerem que essas habilidades relevantes estarão ligadas às indústrias oceânicas (ou seja, turismo costeiro, transporte marítimo, pesca e aquicultura, etc.). Espera-se que essas atividades proporcionem o maior número de novos empregos e oportunidades de negócios. Já estamos experimentando uma grande demanda nesses setores “azuis”, particularmente nos países costeiros e insulares.

Quais serão os próximos desafios?

O caminho para as metas educacionais dos ODS e a satisfação da crescente demanda por empregos qualificados nas indústrias oceânicas, é dificultado pela falta de pelo menos 68,8 milhões de professores e educadores, de acordo com projeções da UNESCO. Embora os países continuem a trabalhar para adicionar professores qualificados, muitos ficarão aquém, colocando em risco o futuro da nossa sociedade.

Uma proposta de ação para uma educação global a respeito dos oceanos e com um propósito – Think Blue

O mundo precisa de uma mudança disruptiva na oferta e na qualidade da educação, uma mudança que intensifique os esforços para unir melhor a tecnologia, a aprendizagem e a indústria, apesar das lacunas entre os professores.

O Think Blue, uma iniciativa do Banco Mundial powered by Virtual Educa, é uma solução que é apresentada na forma de um portal para a inovação na educação oceânica, e que promove e apóia a aprendizagem ao longo da vida. Em primeiro lugar, o Think Blue atua como uma ferramenta “tudo em um só lugar” para pesquisar e acessar o conteúdo agregado sobre educação oceânica em todos os tópicos relacionados, incluindo conservação marinha, gestão e defesa contra a poluição plástica, indústrias técnicas, política marinha e etc. O portal busca aplicar tecnologias disruptivas, como a inteligência artificial (IA) e a aprendizagem automática para personalizar cada busca e obter os melhores resultados para todos os públicos. Essas tecnologias digitais também serão aplicadas a conteúdos educacionais on-line, oferecendo, assim, uma experiência de aprendizagem dinâmica adaptada às necessidades de cada indivíduo.

O portal Think Blue busca personalizar cada busca e obter os melhores resultados para todos os públicos.

O uso de TICs disruptivas e um foco específico no espaço “azul” tornam esta iniciativa poderosamente única. Tendo entendido as necessidades educacionais da economia global, impulsionada pelos oceanos e os desafios futuros, a Think Blue procura acelerar o acesso à educação oceânica, conectando tecnologia, aprendizagem adaptativa e indústrias oceânicas para desenvolver habilidades e um futuro com base no conhecimento.

Além disso, o Think Blue é um portal que eventualmente evoluirá além dos oceanos e abordará a necessidade de elevar a educação a maiores alturas e propósitos. O portal representa uma mudança de mentalidade em relação ao uso de produtos edu-tech e das tecnologias disruptivas para preparar do melhor modo possível a geração atual e as seguintes para levar o planeta a um futuro sustentável.

O Think Blue é, portanto, um conceito sinônimo de incubação e manutenção da transformação, que começa com nossos jovens e implementa as tecnologias do futuro.

O Think Blue não diminui a importância e a relevância dos educadores, mas complementa seus esforços e atua como uma ferramenta poderosa para expandir o alcance e a cobertura da educação oceânica.

Parcerias inovadoras para mudar a mentalidade e atender a demanda

No desenvolvimento de uma solução de escala educacional como a Think Blue, parceiros ágeis e visionários são fundamentais. A parceria entre o Banco Mundial e o Virtual Educa é por natureza inovadora, já que ambas instituições proporcionam grande experiência e conhecimento. O compromisso do Banco Mundial com o desenvolvimento sustentável das economias oceânicas -a “economia azul”- dos países costeiros e insulares contribui para que o Think Blue tenha uma perspectiva de política estratégica de desenvolvimento até 2030. O Virtual Educa complementa o Banco com seu comprovado compromisso com a educação e seu amplo sucesso em encontrar líderes da indústria de tecnologia, acadêmicos, funcionários do governo e instituições internacionais em torno de uma abordagem visionária à educação.

Think Blue nasceu de uma demanda clara dos países da Organização dos Estados do Caribe Oriental (em inglês: Organisation of Eastern Caribbean States – OECS). Aproveitando-se do apoio do Banco para o desenvolvimento da economia azul, os países da OECS promoveram a necessidade de compreender e gerenciar melhor o ambiente marinho para desbloquear completamente o incrível potencial de um ambiente saudável e forte.

Como os países da OECS, aqueles com uma perspectiva de economia azul (qualquer país à beira-mar) podem se beneficiar enormemente de um portal confiável, adaptável, poderoso e suficiente para oferecer uma melhor compreensão de nossos oceanos.